AVISO

Imagem do Dia


Remanescente de supernova G292.0+1.8

Ditos

"O mais importante é nunca parar de se questionar."
- Albert Einstein


Atirando pedras no espaço!

2012-02-15

Créditos: NASA/CXC/M.Weiss
Quando se formou o sistema solar “sobraram” uma série de “peças”. Estas peças sobresselentes são chamadas de asteróides e cometas. Asteroides são pedaços de rocha, que maioritariamente se encontram numa região chamada de Cintura de Asteroides, situada entre os planetas Marte e Júpiter. Por outro lado os cometas são pedaços de gelo, rocha e poeiras, razão pela qual são por vezes chamados de “bolas de neve sujas”. A maioria dos cometas encontra-se nas regiões mais afastadas do sistema solar, para lá dos planetas Úrano e Neptuno numa região chamada de nuvem de Oort.

No entanto nem todos os asteroides e cometas têm um ”bom comportamento” mantendo-se nestas regiões. Algumas vezes os cometas visitam zonas mais interiores do sistema solar. Quando isto acontece, aproximam-se da Terra e são visíveis, pois devido à sua proximidade do Sol o gelo derrete formando belas “caudas” que trespassam o céu nocturno. Algumas vezes os asteroides também visitam a Terra. Pequenos pedaços de asteróides que entram na atmosfera terrestre são chamados de meteoros. À medida que atravessam a atmosfera os meteoros "incendeiam-se", razão porque são também chamados de estrelas cadentes.

Os astrónomos pensam que o mesmo pode acontecer com os asteróides que atingem o centro da nossa galáxia, a Via Láctea. No centro da maioria das galáxias existe um objecto chamado de buraco negro super-massivo. Qualquer coisa que se aproxime de um buraco negro super-massivo é puxada com tal força para o seu interior que não tem quaisquer hipóteses de escapar – nem mesmo a luz!

O buraco negro super-massivo no centro da nossa galáxia chama-se Sagittarius A*. Durante vários anos, os astrónomos identificaram misteriosas fulgurações de raio X vindas de Sagittarius A*. Actualmente pensam que estas emissões de luz podem ser causadas por asteróides a serem devorados por Saggitarius A*, tal como os rastos de luz deixados no céu nocturno por meteoros (ou estrelas cadentes) que se incendeiam ao entrar na atmosfera. Se esta teoria está correcta então devem existir centenas de biliões de asteróides e cometas à volta de Sagittarius A*!

Facto Curioso: Os asteroides e cometas não têm apenas de “preocupar-se” com os buracos negros super-massivos: um em cada três dias um cometa é destruído quando é consumido na atmosfera quente do Sol!

Este Space Scop é baseado nos relatórios de imprensa do Observatório de Raios- X Chandra da NASA : http://chandra.harvard.edu/

Link para a noticia original: http://www.unawe.org/kids/unawe1210/