AVISO

Imagem do Dia


Enxame globular M 9 (NGC 6333)

Ditos

"Somos irmãos das rochas e primos das nuvens."
- Harlow Shapley


Tempestade vermelha crescente

2006-06-01


Júpiter com a Grande Mancha Vermelha e a Oval Vermelha BA. Crédito: Christopher Go (Cebu, Filipinas).


Ei, lembram-se da nova mancha vermelha que apareceu em Júpiter? Observações recentes mostraram que está lentamente a aproximar-se da sua irmã maior, a Grande Mancha Vermelha. Christopher Go, um astrónomo, criou o website redspotjr.com para a seguir. Ele tem um pequeno telescópio, mas tira fotografias fenomenais. A de cima foi tirada por ele, e mostra o quão próximas as duas tempestades estão a ficar. A Vermelha Jr. está logo acima e à direita da Grande. Go calcula que as duas manchas passarão uma pela outra lá para Julho.

Poderá estar a interrogar-se como é que uma tempestade pode passar por outra assim. Quando olha para Júpiter, não está a ver a superfície. Júpiter poderá até nem ter uma verdadeira superfície de todo! O que nós vemos é o topo das nuvens, e a atmosfera de Júpiter desce ao longo de milhares de quilómetros, até que a pressão fantástica a transforma em líquido. Esta região de transição não é bem definida como é na Terra (pense na fronteira bem definida entre o ar e a superfície do mar), mas sim indistinta. Durante milhares de quilómetros na vertical poderá ser difícil distinguir o gasoso do líquido - como numa mixórdia lamacenta. Júpiter é um lugar muito estranho.

O que é ainda mais estranho é a atmosfera ser às bandas, às faixas. Estas são padrões de vento diferentes, um pouco como os diferentes ventos na Terra, como os ventos alísios ou os da zona das acalmias equatoriais. Os ventos movem-se a velocidades diferentes. No global, Júpiter roda uma vez a cada 10 horas, mas as tempestades flutuam um pouco quando comparadas com a rotação. O que isto quer dizer é que com o tempo, a Mancha Vermelha poderá ultrapassar (ou ser ultrapassada) por outra tempestade. Na fotografia de Júpiter acima, veja como as nuvens à esquerda da Grande Mancha Vermelha parecem lisas, mas à direita estas estão todas agitadas. As nuvens à direita entrelaçaram-se à volta da Mancha, que está a mover-se muito lentamente da direita para a esquerda como se vê nesta imagem. Imagine o seu dedo a deslizar dentro de água: à frente do seu dedo a água está calma, mas atrás a água está agitada. É praticamente o mesmo que se está a passar em Júpiter.

Então neste momento, a Vermelha Jr. está a mover-se em direcção à "Grande Irmã". Normalmente, não existem grandes associações entre as bandas, mas o que será que irá acontecer quando a Jr. se colocar logo acima da tempestade maior? Sobreviverá? Provavelmente. Mas poderá misturar-se. Veremos. E com fotografias fantásticas como as de Go, veremos mesmo!


Tradução de José Raeiro. Link para o artigo original.