AVISO

Imagem do Dia


Enxame globular M 9 (NGC 6333)

Ditos

"Tenho já há muito tempo como axioma que as pequenas coisas são infinitamente as mais importantes."
- Sir Arthur Conan Doyle


Quando chove, é um dilúvio …. no Sol

2014-07-15

Créditos: NASA/SDO
Tal como na Terra, o Sol tem “alertas “ de mau tempo com ventos fortes e aguaceiros. Mas ao contrário das tempestades que ocorrem com frequência naTerra, a chuva não é composta de água mas de um gás super quente e eletricamente carregado chamado plasma. Cai em milhares de gotas gigantescas, com uma velocidade de 200 000 km/h da alta atmosfera do Sol - coroa solar. Cada uma destas gotas tem dimensões tão grandes quanto um país!

Este surpreendente fenómeno foi descoberto há cerca de 40 anos. Graças aos modernos satélites, os físicos solares (cientistas que estudam o Sol) podem agora estudar este acontecimento com um fantástico detalhe começando agora a compreender realmente como acontecem estas tempestades.

A forma como a chuva do Sol se forma é muito semelhante à forma como a chuva se forma na Terra. Se as condições da atmosfera solar forem as certas, o plasma evapora-se da superfície e formam-se nuvens de plasma quente. Ao esfriarem as nuvens vão precipitar gotas de chuva de plasma extremamente quente sobre a superfície solar.

Apesar da semelhança, o catalisador que despoleta a formação de nuvens de chuva no Sol é muito diferente do que acontece na Terra. As fulgurações solares são as explosões mais poderosas no sistema solar, ajudam a aquecer a atmosfera do Sol e promovem a evaporação do plasma para a formação de nuvens.

Facto Curioso: A coroa solar está a uns abrasadores 2 000 000ºC, muito mais quente que a superfície da nossa estrela, com “apenas” 6 000ºC. A questão que permanece é que ninguém sabe ao certo a razão da atmosfera solar aquecer tanto!

Este Space Scoop é baseado nos relatórios de imprensa do: RAS

Link para a noticia original: http://www.unawe.org/kids/unawe1424