AVISO

Imagem do Dia


Nebulosa de Eta Carina

Ditos

"Nós criamos ou descobrimos a ciência? "
- Marcelo Gleiser


Luas e Planetas

2005-10-27
Se alguma coisa tiver uma Lua, isso faz dela um planeta?

A resposta curta é não. Na realidade, a resposta comprida também. Mas a resposta realmente comprida requereria a definição de planeta, e eu não me vou meter nisso aqui. Um dia destes escreverei o ensaio com as 5000 palavras que andam à volta na minha cabeça acerca desse assunto, mas não agora.

Bastará dizer que não existe nenhum verdadeira definição do que é um planeta ; a lista de planetas é decidida numa sala (provavelmente cheia de fumo de tabaco) nas traseiras da União Astronómica Internacional (IAU). Actualmente, eles dizem que temos 9 planetas no Sistema Solar, incluindo Plutão.

Contudo, a descoberta de corpos grandes para lá de Plutão alarmou alguns definidores de planetas. Um é mais pequeno que Plutão, mas o outro é definitivamente maior (Eu discuto-os com mais detalhe aqui e aqui). O maior deles, com o número de catálogo 2003 UB311 e nome comum Xena, está neste momento quase três vezes mais longe do Sol que Plutão. É um ponto irresolúvel mesmo nos maiores telescópios, mas (como eu descrevo no primeiro link acima) os astrónomos sabem que é pelo menos tão grande como Plutão, e possivelmente substancialmente maior.

Mesmo assim, ainda é pequeno. Um boa estimativa para o seu tamanho é 2700 quilómetros de diâmetro, menor que o da nossa Lua (com 3400 km de diâmetro). Sendo assim, nem sequer estamos a falar de tamanhos dos da ordem de Mercúrio, e este é o planeta mais pequeno acerca do qual não existe discussão.

Então, o que é um planeta? Esse grupo da IAU tem vindo a discutir isso há já algum tempo. Existem rumores com algumas semanas que eles poderão vir a acrescentar adjectivos aos planetas, de forma que a Terra seria um planeta maior, por exemplo, e o UB 313 seria um planeta menor. E enquanto eu escrevo isto, há minutos atrás, um comunicado de imprensa diz que eles fizeram exactamente isso:

"Através deste método [novo da IAU], a Terra e Vénus chamar-se-iam planetas terrestres, Saturno e Júpiter gigantes gasosos, e Plutão um planeta transneptuniano."

Pessoalmente, acho que é uma solução absurda. Ninguém vai usar adjectivos ao falar de Júpiter, logo isto não irá ajudar de todo.


Xena e Gabrielle
Curiosamente, foi há pouco dada a notícia que o UB313 tem uma lua (apelidada Gabrielle, obviamente). O seu tamanho é presentemente desconhecido, mas assim que for suficientemente observada para obter uma órbita, isso indicará aos astrónomos a massa do corpo adjacente, o Xena. Por isso é uma descoberta útil.

Mas uma coisa que algumas pessoas argumentam acerca dos planetas é que estes têm luas. Já ouvi isto de algumas pessoas (maioritariamente de não-astrónomos), que algo com uma lua pode ser considerado mais justamente um planeta verdadeiro. Isto é ilusório na melhor das hipóteses; muitos pequenos asteróides têm luas (o outro novo objecto para lá de Plutão, o EL61, também tem uma), e dois planetas "verdadeiros" - Mercúrio e Vénus - não têm luas. E por isso a presença ou a falta de luas como critério só irá causar ainda mais confusão.

Será de notar que o descobridor está a chamar-lhe planeta, e apesar de ele rejeitar que o facto de ter uma lua faça deste um planeta, a maneira como ele o menciona torna claro que não se importa que algumas pessoas pensem que ter uma lua ajuda.

E eu, será que acho que é um planeta? Acho essa questão inútil, porque, mais uma vez, a nossa definição de planeta é arbitrária. Se o pessoal da IAU tivesse saído da sala e decidisse que o Sol é um planeta, que uma árvore é um planeta, ou que a Scarlett Johansson é um planeta, então essa seria a definição oficial. Como poderá imaginar, eu obviamente que tenho uma opinião acerca disso - o que eles disseram não foi muito melhor. Mas esse é um ensaio (longo) para outro dia.


Tradução de José Raeiro
Artigo Original: http://www.badastronomy.com/bablog/?p=152