Imagem do Dia: Campo Profundo Norte do Hubble

2018-09-12

Crédito: R. Williams (STScI), NASA & The Hubble Heritage Team (STScI/AURA).
Telescópio: Hubble Space Telescope (NASA/ESA).
Instrumento: Wide Field Planetary Camera 2 (WFPC2).
Em Dezembro de 1995, o telescópio espacial Hubble apontou na direcção da constelação da Ursa Maior, para uma pequena área do céu aparentemente desprovida de qualquer objecto luminoso. A composição de 342 exposições obtidas durante 10 dias consecutivos resultou nesta fabulosa imagem, uma espécie de buraco na fechadura para o horizonte visível do Universo. Este campo ganhou o nome de Campo Profundo Norte do Hubble (em inglês, Hubble Deep Field North), em que o termo profundo alude à grande distância e limite de brilho alcançado pelo telescópio. Embora seja muito pequeno, este campo é representativo da típica distribuição das galáxias no espaço porque o Universo, estatisticamente, é muito semelhante em qualquer direcção. Neste pequeno campo, identificaram-se pelo menos 1500 galáxias em vários estágios de evolução, e a maioria nunca antes tinha sido detectada. Uma fracção desta amostra de galáxias data dos tempos em que o Universo era jovem, pois estamos a vê-las como eram há mais de 10 mil milhões de anos. As observações foram precedidas por um ano de preparação e a relevância científica é tal que os dados foram postos de imediato à disposição da comunidade científica mundial, para que esta se possa dedicar à investigação, principalmente em áreas relativas à formação de galáxias e à estrutura e evolução do Universo.
 

Outras Imagens do Dia:
2020-01-21 - Galáxia M 87
2020-01-20 - Sírius - A estrela mais brilhante do céu nocturno
2020-01-19 - NGC 6302 - Nebulosa planetária da Borboleta
2020-01-18 - Hodge 301 - Nebulosa da Tarântula
2020-01-17 - Tagus Vallis em Marte
2020-01-16 - Nebulosa M 43 (NGC 1982)
2020-01-15 - Rhea vista por Cassini
2020-01-14 - Tempestades em Saturno
2020-01-13 - Cometa Hyakutake
2020-01-12 - Colunas de gás e poeira na nebulosa da Águia (M 16)


Mais Imagens...